• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Ralis: Sebastien Ogier abre um novo ciclo
Publicado em 07.Oct.2013
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

O Rali de França marcou uma nova era no Mundial de Ralis, com a consagração de Sebastien Ogier como novo campeão e o adeus do piloto mais vitorioso de sempre da história da modalidade e nove vezes consecutivas campeão mundial: Sebastien Loeb. Foi uma passagem de testemunho entre franceses, mas não restam dúvidas de que o recorde do piloto da Citroen, única marca que representou nos ralis, vai perdurar por… muitos anos.

Sebastien Ogier (VW), o grande senhor desta época 2013 marcada pelo regresso da Volkswagen, necessitava de apenas um ponto, face ao belga Thierry Neuville (Ford), para confirmar a conquista do título e conseguiu-o, como era previsto, logo no primeiro dia, mas nos restantes três adivinhava-se uma luta sem tréguas pela vitória, na qual deveriam entrar, além dos dois nomes já referidos, Sebastien Loeb, a fazer o seu último rali, e o seu colega de equipa Dani Sordo.

A prova francesa acabou por se transformar, em termos competitivos, no melhor rali dos últimos anos, chegando a estar quatro pilotos (Ogier, Loeb, Latvala e Sordo, depois de Neuville se ter atraso devido a problemas mecânicos) separados por 5 (!) segundos a discutir a vitória.

Foi um salve-se quem puder, de tal modo que Loeb até acabou fora de estrada, de pernas para o ar, no seu rali de despedida e na terra (Haguenau) que o viu nascer…

“Dava o máximo, porque estávamos muito próximos. Perdi o controlo da traseira do carro numa direita rápida e saímos. Seguramente que tinha preferido terminar o meu último rali, mas não sucedeu aquilo que esperávamos. Queria acabar o derradeiro rali da minha carreira no pódio, mas a vida é assim mesmo…”, desabafou, no final da prova, Sebastien Loeb, que no próximo ano vai continuar ao serviço da Citroen, mas nas pistas, guiando um C-Elysée no Mundial de Turismos.

A batalha pela vitória acabou por ser ganha pelo novo campeão frente a Sordo (12,2 segundos de diferença no final, com Latvala em terceiro, a 19,5s), que além da vitória no “seu” rali ainda teve a particularidade de saborear o título em casa…

“Fiquei dececionado na Austrália por ter sido forçado a desistir, mas acabou por ser melhor ganhar o campeonato aqui [França]. Não esperava um ritmo tão incrível. Creio que o Latvala e o Sordo, tal como os respetivos navegadores, também merecem um grande aplauso. Estiveram a um nível altíssimo este fim de semana”, palavras de Sebastien Ogier.

Agora, quando restam duas provas (Rali de Espanha e Rali de Gales) para o termo da época, resta cumprir calendário – a VW quer garantir quanto antes o título de construtores – e aguardar pelas definições de pilotos para 2014, ano em que regressa a Hyundai.

Classificação após a 11ª prova das 13 do Mundial de Ralis

Pilotos

1º, Sébastien Ogier (VW), 238 pontos

2º, Thierry Neuville (Ford), 143

3º, Jari-Matti Latvala (VW), 125

4º, Dani Sordo (Citroen), 117

5º, Mikko Hirvonen (Citroen), 111

Construtores

1º, Volkswagen, 339 pontos

2º, Citroen, 259

3º, Ford, 157

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios