• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Rali de Portugal de volta ao Norte em 2014
Publicado em 07.Apr.2013
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

É irreversível a mudança, já em 2014, do Rali de Portugal para a região Centro/Norte, em detrimento do Algarve, e a visita, este último sábado, do presidente da FIA (Federação Internacional do Automóvel), Jean Todt, ao nosso país, para ver “in loco” o Fafe Rally Sprint, evento realizado no âmbito do programa do Rali de Portugal, veio colocar o ACP (Automóvel Clube de Portugal) ainda sob maior pressão. A escassez de público na região do Baixo Alentejo e do Algarve desde que a prova portuguesa regressou, em 2007, ao calendário do Mundial tem sido apontado como ponto negativo e esse parâmetro adquiriu maior dimensão o ano transato, quando a antiga piloto Michèle Moutton, no cargo de manager do Mundial de Ralis, esteve em Fafe, neste mesmo evento de promoção do rali, e ficou impressionada com a moldura humana. A partir desse momento, no seio da FIA e não só, até porque o próprio presidente, antigo copiloto, sempre defendeu a “humanização” dos ralis, levando-os, como no passado, ao encontro das pessoas, ganhava força a ideia de, finalmente, fazer regressar a prova ao Norte do país, de onde saiu por questões estruturais. Por outro lado, nos últimos anos o ACP também foi contactado por várias edilidades cujas regiões recebiam a estrutura da prova no passado interessadas em investir no seu regresso.

Desde 2012 que o ACP, de forma paulatina, tem acelerado os contactos com as autarquias da região Centro/Norte, num total de oito, procurando obter garantias de apoio logístico e financeiro. Há uma forte vontade dos atuais líderes dessas câmaras municipais, mas, em simultâneo, há também algumas dúvidas ditadas pelas eleições autárquicas de Novembro próximo, já que nem todos têm a certeza da sua continuidade nesses cargos.

Digamos que o ACP se encontra agora numa espécie de corrida contra o tempo, no sentido de garantir um esboço da estrutura de 2014 com um mínimo de garantias relativas aos apoios financeiros e logísticos a nível local. É que o contrato com a FIA que terá que ser assinado em Maio.

A principal preocupação, quando for consumada a transferência do Rali de Portugal para a região Centro/Norte, é garantir que não se verifiquem, ao nível da segurança, quaisquer problemas causados pelo público, porque tal representará, de imediato, a exclusão da prova do calendário Mundial. 

Centro nevrálgico no Porto é uma forte possibilidade

Com a saída do Rali de Portugal do Algarve, ao fim de sete anos, em 2014 a estrutura da prova, por aquilo que conseguimos apurar junto de várias fontes, vai ser delineada no eixo Centro/Norte, com o quartel-general da prova sedeado na área do Grande Porto. O desfecho das eleições autárquicas – porventura até de eventuais incompatibilidades que venha a ser decretadas… – deixa em aberto algumas dúvidas, mas não seria de todo descabido que o centro nevrálgico da prova pudesse ser no Porto e até passasse por uma “sala de visitas” como a Avenida dos Aliados, que há três anos foi palco do Rally Show da prova.

Depois, quanto às três etapas, uma delas poderá englobar um regresso à emblemática região de Arganil e as outras ao Minho, com Fafe, e não só, na “ementa”, como nos bons velhos tempos…

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios