• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Perfil

Adalberto Ramos é natural de Vila do Conde, onde nasceu em 1959.

A sua paixão pelos desportos motorizados despertou algum tempo antes da carreira jornalística, quando no início da década de 70, em Angola, assistia às partidas do então Rali do BCA ou às corridas no Autódromo de Luanda, onde depois, já como… repórter do “Diário de Luanda”, se estreou a escrever sobre automóveis. É a partir de 1979, quando faz a sua primeira cobertura do Rali de Portugal/Vinho do Porto para “O Comércio do Porto”, passando a fazer parte do respetivo quadro no ano seguinte, que começa a seguir com assiduidade os desportos motorizados, assinando também trabalhos em “O Norte Desportivo” e no “AutoSport”. Foi um dos fundadores, em 1985, do primeiro diário desportivo no nosso país, O JOGO, cujo pioneirismo era extensivo ao espaço concedido aos desportos motorizados, através de uma secção específica. Ao longo de mais de três décadas, quer ao serviço do AutoSport, ao qual esteve ligado 18 anos, quer de O JOGO, onde permanece em atividade, escreveu dezenas de reportagens, quer de ralis (Nacional, Europeu, IRC e Mundial) quer de velocidade (Turismos, Fórmula 1, Fórmula 3, Superleague Fórmula e Resistência), reportando o desempenho dos pilotos portugueses e não só. Pelo meio, ainda houve tempo para sentir por dentro como são os ralis ou não tivesse sido navegador no Campeonato Nacional de Iniciados de 1987 e em mais quatro provas do Nacional na época seguinte. Uma brevíssima experiência, entre várias outras no mundo dos motores, para ver como é o outro lado do mundo complexo da competição automóvel. Um “bichinho” que só vai desaparecer quando o motor parar, já sem combustível…