• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Mercedes: domínio e… rivalidade interna
Publicado em 25.May.2014
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

A época de Fórmula 1 avança e quando foi cumprida a sexta das 19 provas do Mundial há um denominador comum em matéria de vitórias: Mercedes. A equipa do construtor alemão continua a exercer uma superioridade avassaladora, com Lewis Hamilton a somar quatro triunfos (consecutivos) e Nico Rosberg dois, mas no recente GP do Mónaco terá acabado o bom relacionamento que até então perdurava entre ambos. Tudo porque na qualificação de sábado, quando discutiam a “pole position”, que é como quem diz o primeiro lugar – mais importante do que nunca num circuito como o do Principado – na grelha de partida para a corrida, o britânico sentiu-se prejudicado pelo colega na sua volta rápida, depois de ele, pretensamente, ter cometido um erro e, na tentativa de evitar os rails, entrar por uma escapatória, levando os comissários de pista a exibir as bandeiras amarelas…

Rosberg pediu desculpa e partiu determinado para uma corrida que liderou da primeira à última volta, na frente de… Hamilton, com os dois monolugares da Mercedes a deixarem a concorrência para trás, como vem sucedendo desde o início da temporada. No final, nem um cumprimento ou uma palavra, mas é evidente que na conferência de imprensa os jornalistas não deixaram de questionar o relacionamento entre ambos depois do sucedido no dia anterior…

“Está tudo bem entre nós, às vezes temos discussões, claro, mas o positivo disto tudo é que nos conhecemos há muito tempo, sentamo-nos, falamos das coisas e seguimos em frente. Foi isso que fizemos este fim de semana. Somos amigos e resolvemos tudo”, disse Nico Rosberg, que graças ao triunfo nas ruas da cidade onde reside ascendeu à liderança do Mundial. Evitando polémicas, Hamilton foi esclarecedor e diplomático:

“Somos companheiros de equipa, colegas, não amigos!”

Quanto ao resto, a Red Bull continua à procura de fiabilidade e se Daniel Ricciardo, terceiro no final, voltou a dar conta do “recado”, Sebastien Vettel não esteve em pista mais do que oito voltas, devido a problemas com a caixa de velocidades. E a Ferrari ainda não se encontra ao nível exigido por Fernando Alonso que graças ao quarto lugar procura consolidar a terceira posição no campeonato.

A próxima prova do Mundial será o GP do Canadá, a 8 de Junho.

Mundial de Pilotos (após 6 provas)

1º, Nico Rosberg (Mercedes), 122 pontos

2º, Lewis Hamilton (Mercedes), 118

3º, Fernando Alonso (Ferrari), 61

4º, Daniel Ricciardo (Red Bull), 54

5º, Nico Hulkenberg (Force India), 47

6º, Sebastien Vettel (Red Bull), 45

7º, Valteri Bottas (Williams34

8º, Jenson Button (McLaren), 31

9º, Kevin Magnusson (McLaren), 21

10º, Sergio Perez (Force India), 20

Construtores

1º, Mercedes, 240 pontos

2º, Red Bull, 99

3º, Ferrari, 78

4º, Force India, 67

5º, McLaren, 52

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios