• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Fórmula 1: Equilíbrio ou a Red Bull escondeu-se?
Publicado em 06.Mar.2013

Quando restam duas semanas para o início do “Mundial” de Fórmula 1 e terminaram os testes oficiais da pré-época, repartidos entre as pistas espanholas de Jerez de la Frontera e de Barcelona, nesta última com duas sessões, fica a ideia de que esta época haverá um maior equilíbrio de forças, embora subsistam sempre dúvidas relativas ao “jogo” de algumas equipas que apenas poderão ficar dissipadas na primeira corrida, no dia 17 deste mês, na Austrália. Não falta quem acredite que a Red Bull, ainda a grande referência, depois de dominar as últimas temporadas, escondeu o seu verdadeiro potencial nestes testes de inverno, para não colocar a concorrência de olhos bem abertos no seu RB9. “Esconderam [Red Bull] o jogo o tempo todo…”, garante Felipe Massa, da Ferrari, depois de tudo aquilo que viu nos seus dias de ensaios.

Verdade ou não, o certo é que, em termos gerais, e tendo como base a derradeira semana de ensaios no circuito da Catalunha, considerada sempre a mais significativa quanto a resultados a nível de “performances”, fica a ideia de um certo equilíbrio, a deixar antever vários protagonistas na luta pelas vitórias em 2013. Para já, parecem não restar dúvidas, e os próprios pilotos confirmaram-no desde o primeiro ensaio em pista, que o novo Ferrari F138 reduziu a diferença que separava a versão de 2012 dos Red Bull e os McLaren. Um indício prometedor, a que se juntam boas indicações por parte da Mercedes, afinal a equipa que terminou os testes de preparação do Mundial’2013 com o melhor registo, graças a Nico Rosberg, e da própria Lotus. Portanto, há um lote de cinco equipas – Mercedes, Red Bull, Ferrari, McLaren e Lotus – candidatas a vencer corridas, numa época em que pelo menos na fase inicial os pneus deverão ser uma espécie de “quebra-cabeças” para todos. Mas isso pode ser um elemento capaz de apimentar o espetáculo e evitar corridas monótonas.

Nas quase duas semanas de testes em Barcelona antes do período de descanso à partida para Melbourne, na Austrália, os pilotos queixaram-se do excessivo desgaste dos pneus, quando as temperaturas na Catalunha até estavam bastante baixas comparativamente a anos anteriores, e nesta primeira corrida o calor será uma realidade. Sabe-se já – como anunciou a Pirelli, fornecedor único – que para o primeiro Grande Prémio da época foram eleitos os pneus médios e supermacios, e ainda ninguém sabe com precisão como retirar o máximo partido dos novos compostos da marca italiana.

“Estes últimos testes em Barcelona, apesar das temperaturas serem demasiado baixas para as que iremos encontrar ao longo do ano, foram bastante proveitosos. A degradação consequente foi alta, pois os pneus não estavam a operar no seu intervalo de funcionamento na maior parte dos ensaios. Contudo, é uma situação familiar, tanto para nós como para as equipas, pois também foi o caso nos testes de pré-época do ano passado, daí que agora não seja motivo para grande preocupação”, explicou Paul Hembrey, o diretor de competição da Pirelli, manifestando confiança na eficácia das “borrachas” no arranque da temporada de Fórmula 1.

“Estamos ansiosos pela prova da Austrália, na qual os nossos pneus poderão operar adequadamente no seu intervalo de funcionamento, e esperamos ver uma corrida excitante, com duas a três paragens nas boxes por carro”, concluiu. 

 

Melhores tempos em Barcelona

 

1º, Nico Rosberg (Mercedes), 1m20,130s (macios)

2º, Fernando Alonso (Ferrari), 1.20,494 (macios)

3º, Lewis Hamilton (Mercedes), 1.20,558 (macios)

4º, Felipe Massa (Ferrari), 1.21,266 (supermacios)

5º, Jenson Burtton (McLaren), 1.21,444 (macios)

6º, Kimi Raikkonen (Lotus), 1.21,658 (macios)

7º Sergio Perez (McLaren), 1.21,848 (macios)

8º, Romain Grosjean (Lotus), 1.22,188 (macios)

9º Sebastien Vettel (Red Bull), 1.22,197 (macios)

10º, Mark Webber (Red Bull), 1.22,658 (macios)

 

 

Equipas e Pilotos

 

RED BULL

Sebastien Vettel (Alemanha) e Mark Webber (Austrália)

FERRARI

Fernando Alonso (Espanha) e Felipe Massa (Brasil)

MCLAREN

Jenson Button (Inglaterra) e Sergio Perez (México)

LOTUS

Kimi Raikkonen (Finlândia) e Romain Grosjean (França)

MERCEDES

Nico Rosberg (Alemanha) e Lewis Hamitlon (Inglaterra)

SAUBER

Nico Hulkenberg (Alemanha) e Esteban Gutierrez (México)

FORCE INDIA

Paul di Resta (Escócia) e Adrian Sutil (Alemanha)

WILLIAMS

Pastor Maldonado (Venezuela) e Valtteri Botas (Finlândia)

TORO ROSSO

Daniel Ricciardo (Austrália) e Jean-Eric Vergne (França)

CATERHAM

Charles Pic (França) e Giedo van der Garde (Holanda)

MARUSSIA

Max Chilton (Inglaterra) e Jules Bianchi (França) 

 

 

As 19 provas do Mundial’2013

 

17 março GP da Austrália (Albert Park) 58 voltas

24 março GP da Malásia (Circuito Internacional de Sepang) 56 voltas

14 abril GP da China (Circuito Internacional de Shanghai) 56 voltas

21 abril GP do Barém (Circuito Internacional do Barém) 57 voltas

12 maio GP de Espanha (Circuito do Catalunha) 66 voltas

26 maio GP do Mónaco (Circuito do Mónaco) 78 voltas

9 junho GP do Canadá (Circuito Gilles Villeneuve) 70 voltas

30 junho GP de Inglaterra (Circuito de Silverstone) 52 voltas

7 julho GP da Alemanha (Nurburgring) 67 voltas

28 julho GP da Hungria (Hungaroring) 70 voltas

25 agosto GP da Bélgica (Circuito de Spa-Francorchamps) 44 voltas

8 setembro GP de Itália (Autódromo de Monza) 53 voltas

22 setembro GP de Singapura (Circuito de Marina Bay) 61 voltas

6 outubro GP da Coreia (Circuito Internacional da Coreia) 55 voltas

13 outubro GP do Japão (Circuito de Suzuka) 53 voltas

27 outubro GP da Índia (Circuito Internacional de Buddh) 60 voltas

3 novembro GP de Abu Dhabi (Circuito Yas Marina) 55 voltas

17 novembro GP dos Estados Unidos (Circuito das Américas) 56 voltas

24 novembro GP do Brasil (Autódromo José Carlos Pace) 71 voltas

Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios