• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Estalou o verniz entre a Citroen e a VW no Mundial
Publicado em 05.Jun.2013
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

O recente Rali Acrópole, sexta das 13 provas do calendário do Campeonato do Mundo, que teve um novo vencedor, com o finlandês Jari Matti-Latvala a estrear-se no lugar mais alto do pódio ao volante do VW Polo R WRC, ficou marcado pelo início das hostilidades, a nível extra-desportivo, entre as duas principais marcas, Citroen e Volkswagen (VW) – recorde-se que a Ford não está presente a nível oficial –, vivendo-se no final um ambiente de alta tensão. E tudo começou, terminado o rali, quando a Citroen apresentou um protesto contra os três VW Polo (Latvala, Ogier e Mikkelsen), incidindo o mesmo no facto de terem montada uma bateria suplementar durante o rali, algo considerado ilegal.

O assunto transitou para os comissários desportivos que reuniram durante três horas, ouvindo todas as partes, para acabarem por considerar a inexistência de qualquer atropelo ao regulamento, já que a segunda bateria nunca teria sido ligada durante o rali para substituir a primeira – se tal sucedesse estaria a ser cometida uma ilegalidade – e, por outro lado, a equipa alemã explicou ainda que apenas montou a bateria suplementar para o trajeto do carro entre a assistência e o parque fechado. E a VW disse mais: que teve autorização da Federação Internacional do Automóvel para o fazer e que a Citroen havia sido informada desse facto.

Desde o Rali de Monte Carlo de 1990, quando a Toyota apresentou um protestou contra a Lancia, que o ambiente entre os construtores não conhecia uma fase tão conturbada como a atual, o que também pode ser explicado, de algum modo, pelo desfecho deste rali grego.

É que nem com os problemas mecânicos de Sébastien Ogier, prematuramente afastado dos primeiros lugares, a Citroen foi capaz de tirar partido da situação para regressar às vitórias, este ano conquistadas graças às participações esporádicas, e já previamente deliberadas, de Sébastien Loeb em Monte Carlo e na Argentina. Na Grécia, se Hirvonen não teve muita sorte no início e ficou fora da corrida pela vitória, o espanhol Dani Sordo mostrou, mais uma vez, que ainda não é um… ganhador.

A meio da temporada, e quando faltam ainda sete ralis, a VW tem já os seus dois pilotos destacados na frente do campeonato e a tendência, a partir de agora, com a crescente confiança de Latvala no Polo, é o ponta de lança Ogier ficar com menos frequência… sozinho lá na frente a discutir as vitórias.

E seguramente que o ambiente entre a Citroen e a VW nos ralis nunca mais vai ser o mesmo…

Classificação após o Rali Acrópole

1º, Sebastien Ogier (VW), 126 pontos

2º, Jari Matti-Latvala (VW), 74

3º, Sebastien Loeb (Citroen), 68

4º, Mikko Hirvonen (Citroen), 61

5º, Thierry Neuville (Ford), 50

6º, Dani Sordo (Citroen), 47

7º, Mads Ostberg (Ford), 46

8º, Evgeny Novikov (Ford), 31

9º, Nasser Al-Attiyah, 30

10º, Martin Prokop, 27

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios