• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Dedo do mago Newey deixa tetra na mão de Vettel
Publicado em 24.Sep.2013
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

“O carro é fantástico. É incrível, mas, para ser sincero, não estou a pensar no campeonato. Simplesmente desfruto deste momento. Dá-me prazer pilotar um carro fantástico e tal não acontece por acaso, há muita gente que trabalhou para isso. Estar ao volante dele em corridas como esta é um prazer”. Estas palavras, proferidas por Sebastien Vettel no final do Grande Prémio de Singapura, depois de o ter dominado em absoluto, dizem tudo sobre aquilo que vive atualmente o piloto alemão e a Red Bull, equipa que continua a dominar o Campeonato do Mundo de Fórmula 1.

Na décima terceira corrida da temporada, o jovem alemão obteve a sua sétima vitória, sentenciando, praticamente, a conquista do quarto título consecutivo de campeão, embora ainda restem mais seis (!) jornadas para o termo do campeonato. Com 60 pontos de desvantagem, Fernando Alonso e a Ferrari, de novo os principais opositores do tricampeão no circuito de Marina Bay, reconhecem que a partir de agora o importante será concentrar esforços no trabalho para 2014, porque este ano pouco ou nada haverá a fazer, tanto mais que com a mudança do regulamento todos vão partir do zero, e em igualdade de circunstâncias, na próxima época.

A superioridade do monolugar da Red Bull concebido por Adrien Newey, o engenheiro aeronáutico que é hoje um dos magos da Fórmula 1 na área da aerodinâmica, tem sido evidente, à semelhança, aliás, das três épocas anteriores. O sucesso da equipa das bebidas energéticas e de Sebastien Vettel é indissociável daquele projetista, cujas soluções inovadoras têm estado sempre um passo à frente da concorrência.

A prova de Singapura ficou ainda marcada pelos rumores, depois de antes ter sido confirmado a contratação de Kimi Raikkonen pela Ferrari – para o lugar do brasileiro Felipe Massa –, de que a McLaren desejava o regresso de Fernando Alonso… Contudo, o espanhol não perdeu tempo a jurar amor e fidelidade à Ferrari, com a qual tem mais três anos de contrato, mesmo se já em 2014 vai estar submetido a uma maior pressão, ao passar a ter o finlandês – que voltou a subir ao pódio nesta última corrida – como colega de equipa. Por vezes crítico em relação ao trabalho desenvolvido pela Ferrari, ele espera que, finalmente, no próximo ano, o novo monolugar lhe permita lutar pelo título, até porque terá – diz-se!… – uma cláusula de performance no seu contrato à qual poderá recorrer para deixar a equipa. E convém recordar que a Honda volta a associar-se, como fornecedora de motores, à McLaren a partir de 2015, para reeditar uma parceria de sucesso e volta com ambições…

O próximo Grande Prémio será o da Coreia, no dia 6 de Outubro. 

Classificação após a 13ª das 19 provas do Mundial de Fórmula 1

Pilotos

1º, Sebastien Vettel (Red Bull), 247 pontos

2º, Fernando Alonso (Ferrari), 187

3º, Lewis Hamilton (Mercedes), 151

4º, Kimi Raikkonen (Lotus), 149

5º, Mark Webber (Red Bull), 130

6º, Nico Rosberg (Mercedes), 116

7º, Felipe Massa (Ferrari), 87

8º, Romain Grosjean (Lotus), 57

9º, Jenson Button (McLaren), 54

10º, Paul Di Resta (Force India), 36

Construtores

1º, Red Bull, 377 pontos

2º, Ferrari, 274

3º, Mercedes, 267

4º, Lotus, 206

5º, McLaren, 76

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios